Encontro com os líderes da França, Espanha e Portugal, para propor “unidade de ação” desses países em defesa das RUP.

23/03/2018

A esta reunião, promovida pelo Presidente da Conferência dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas, Fernando Clavijo, participaram também os presidentes dos Açores e da Guiana Francesa, bem como membros dos Governos da Madeira, Reunião e Guadalupe.

O presidente das Ilhas Canárias, depois de agradecer aos três líderes pela sua disponibilidade para realizar este encontro e pela sensibilidade que demonstraram, lembrou que a reunião foi considerada “num momento particularmente significativo” após a renovação, pela Comissão Europeia, em outubro do ano passado. , da Estratégia Europeia para as Regiões Ultraperiféricas e antes da apresentação das propostas financeiras e legislativas para o próximo período.

Fernando Clavijo assinalou que esta importante reunião “demonstra o compromisso da União Européia com suas regiões mais remotas” e acrescentou que “agora é necessário que esse compromisso se torne uma realidade, que as intenções se tornem fatos e que as promessas materializar-se em resultados concretos e, para isso, a ação conjunta e determinada de nossos três Estados é fundamental e essencial “.

Depois de destacar que “é a primeira vez, nos mais de vinte anos de existência de cooperação entre as regiões ultraperiféricas, que se reúnem, ao mesmo tempo, os três líderes com os presidentes das regiões”. Fernando Clavijo insistiu que “nossa presença aqui hoje deve ser entendida como uma reafirmação do compromisso dos três Estados e das nove regiões com o destino comum que nos propusemos há alguns anos, acima de nossas singularidades e diferenças”.

O presidente das Canárias salientou a importância de “manter as regiões ultraperiféricas presentes na agenda política europeia e de as necessidades e aspirações dos seus cidadãos não serem obscuras e esquecidas no quadro dos grandes problemas e desafios da Europa, problemas e desafios que, por outro lado, eles também são nossos, assim como os das RUP devem ser de toda a União Européia. ”

Fernando Clavijo salientou que a manutenção destas especificidades nas Políticas Tradicionais, na Política de Coesão ou na Política Agrícola Comum ou da Pesca “continua a ser de capital importância e tem um papel insubstituível na promoção da nossa coesão económica, social e territorial”.