Açores

Açores

O arquipélago dos Açores situa-se em pleno Atlântico Norte, 36º a 43º de Latitude Norte e 25º a 31º de Longitude Oeste, aproximadamente a 1500 km a Oeste de Lisboa e a 3600 km a Este da América do Norte.

Os Açores caracterizam-se pela sua diversidade paisagística e pela riqueza do seu património ambiental, natural e cultural. A localização geográfica e a origem vulcânica dos Açores são responsáveis por uma ampla variedade de ecossistemas.

As ilhas do Corvo, das Flores e Graciosa e as Fajãs de S. Jorge, são Reservas da Biosfera, classificadas pela UNESCO. O centro histórico da cidade de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, considerado como um dos mais notáveis exemplos do urbanismo renascentista, e a Paisagem da Cultura da Vinha, na ilha do Pico, são Património Mundial da UNESCO. Todo o território açoriano, abrangendo 121 locais geograficamente dispersos de património geográfico e áreas marinhas das nove ilhas vulcânicas do arquipélago dos Açores é classificado pela UNESCO como Geoparque.

Os Açores caracterizam-se também pela sua posição geoestratégica, entre os continentes europeu, americano e africano, e são, pois, um formidável ativo da projeção mundial da União Europeia.

O arquipélago é composto por nove ilhas – São Miguel, Santa Maria, Terceira, Graciosa, Faial, São Jorge e Pico, Flores e Corvo – com uma superfície terrestre total de 2.321 km 2 e pelo mar envolvente, que perfaz perto de um milhão de km2.


A par da sua ultraperiferia, a dispersão geográfica entre ilhas acentua os desafios que se colocam aos açorianos. Por exemplo, o afastamento entre a ilha do Corvo ou das Flores e a ilha de Santa Maria ultrapassa os 600 km.

A população da Região Autónoma dos Açores é de 245.283 mil habitantes, com uma densidade populacional média de 105 habitantes/km2 e com um PIB/Capita que tem vindo a aproximar-se da média comunitária.

Os Açores têm um clima temperado marítimo, com temperaturas médias 24°C no Verão e de 13°C no Inverno.

 

Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma dos Açores:

 

Desde de 1976 que os Açores são uma Região Autónoma, estatuto consagrado na Constituição da República Portuguesa. O Estatuto político-administrativo dos Açores foi aprovado pela Lei nº39/80, de 22 de Agosto. São órgãos de governo próprio o Governo Regional e a Assembleia Legislativa, eleita por sufrágio universal direto e dotada de amplas competências políticas e legislativas.

A Região Autónoma dos Açores é dividida administrativamente em 19 concelhos e 150 freguesias.

 

 Atividades Económicas

 Agricultura

 

A economia açoriana está fortemente ligada ao setor agrícola e tem como principais elementos a produção de leite (mais de 30% da produção de leite em Portugal[1]), o abate e exportação de carne bovina, a produção de vinhos e a agricultura biológica. A produção de queijo[2] merece também destaque, sendo realizada em algumas ilhas dos Açores ainda de forma artesanal. Cerca de 50% do queijo produzido em território português é feito nos Açores. O Queijo de São Jorge, por exemplo, possui a dominação DOP, Denominação de Origem Protegida, pela sua qualidade e meio geográfico em que é produzido.

A grande maioria do solo açoriano é ocupado por pastagens, florestas e áreas de uso agrícola, principalmente explorações agrícolas.

As políticas públicas da agricultura são focadas na modernização da atividade e das suas infraestruturas, de forma a melhorar o acesso às explorações agrícolas, às redes elétricas e de abastecimento de água.

Um dos fortes desafios que são colocados aos Açorianos tem, precisamente, a ver com a potenciação paisagística e ambiental da agricultura dos Açores. 

 

Mar e Pescas

 

As pescas e a economia azul são também de extrema importância para a economia dos Açores, visto que a Zona Económica Exclusiva (ZEE) dos Açores representa cerca de 954 496 km2, ou seja, 55% da ZEE portuguesa e 18% do mar europeu.

As atividades associadas ao mar, como a aquicultura, náutica, investigação científica marinha, a conservação do ambiente e recursos marinhos, o turismo marítimo e de observação de cetáceos, evidenciam o potencial dos Açores no desenvolvimento endógeno através das Economias Azul e Verde.

A indústria conserveira, especialmente, de atum, ocupa uma posição de relevância nas exportações do arquipélago, sendo seus principais mercados de destino a Espanha e a Itália.

A pesca de atum nos Açores é, também, distinguida pela organização internacional GreenPeace como “Dolphin Safe” (segura para os golfinhos) e “Friend of the Sea” (amiga do oceano).

 

Turismo

 

O turismo é um dos setores da economia regional que tem tido um maior crescimento. A preservação da sustentabilidade do destino Açores e a garantia de um equilíbrio adequado entre a atividade turística, as infraestruturas associadas e a proteção da paisagem, dos ecossistemas e a sua biodiversidade, são marcas únicas da Região.

Esta estratégia tem vindo a ganhar notoriedade a nível europeu e internacional. Entre muitas outras distinções e prémios, o Arquipélago foi declarado “Destino Quality Coast nº1”, com reconhecimento Ouro, prémio que distingue o destino costeiro de férias mais sustentável na Europa, e premiado pela European Best no âmbito da atividade de observação de cetáceos como um dos melhores destinos da Europa.

A ligação entre o turismo e as atividades ligadas ao mar, ao ambiente e à agricultura é visível salientando-se a observação de cetáceos, a pesca desportiva e submarina, a vela, o iatismo, o turismo de cruzeiros, entre outros, que são também um fator de diversificação e conversão de ativos e de técnicas tradicionais.

 

Investigação, Inovação e Energia

 

Os Açores têm vindo a reforçar a sua participação em projetos europeus que visam a inovação assente no conhecimento, no âmbito de consórcios ou parcerias, captando financiamento comunitário direto, nomeadamente nos programas Horizonte 2020 ou Interreg (Europa e Espaço Atlântico, por exemplo), como forma de contribuir para o desenvolvimento e consolidação da capacitação científica na Região, para o reforço do eixo económico baseado em ID&I e para a projeção dos Açores no Espaço Europeu de Investigação.

Por seu turno, a Universidade dos Açores, criada em 1976, é constituída por três polos localizados nas ilhas de São Miguel, da Terceira e do Faial, e integra unidades orgânicas universitárias e politécnicas. As áreas de excelência e de reconhecimento a nível internacional da Universidade dos Açores são as ciências e as tecnologias do mar e da pesca e, em particular, o estudo das águas profundas, dos montes submarinos, das fontes hidrotermais, do ambiente e das alterações climáticas, assim como o estudo da biodiversidade, da vulcanologia/sismologia e da biotecnologia agroindustrial e marinha.

A confirmar a sua importância e centralidade, os Açores vão acolher o Observatório do Atlântico, uma infraestrutura de investigação, monitorização, proteção e exploração sustentável dos recursos do mar profundo. O Centro Internacional de Investigação dos Açores (“Atlantic International Research Center” ou AIR Center) é uma organização científica internacional sedeada nos Açores com foco no Atlântico e visa o desenvolvimento científico e tecnológico nas áreas do espaço, oceano, atmosfera, clima e energia. Na componente espacial, um dos projetos do AIR Center é a criação de uma base espacial para o lançamento de pequenos satélites, nos Açores, na ilha de Santa Maria.

Os Açores são, igualmente, um exemplo de sustentabilidade pela sua política de descarbonização, já que 41% da sua energia é de origem renovável e endógena, em particular a geotérmica que já representa 67% das energias renováveis.

 

 

Turismo

A preservação da sustentabilidade do destino Açores e a garantia de um equilíbrio adequado entre a atividade turística, as infraestruturas associadas e a proteção da paisagem, dos ecossistemas e a sua biodiversidade, são marcas únicas da Região.

Mar e Pescas

A pesca de atum nos Açores é, também, distinguida pela organização internacional GreenPeace como “Dolphin Safe” (segura para os golfinhos) e “Friend of the Sea” (amiga do oceano).

Investigação

Na componente espacial, um dos projetos do AIR Center é a criação de uma base espacial para o lançamento de pequenos satélites, nos Açores, na ilha de Santa Maria.

[1]http://ec.europa.eu/regional_policy/sources/activity/outermost/doc/plan_action_strategique_eu2020_acores_pt.pdf

[2] https://www.investinazores.com/index.php/pt/porque-acores/setor-agroalimentar

Açores em fotos

Fotos: Jose Antonio Rodrigues
  • São Jorge