Canárias

 

Canárias, um ambiente multicultural

 

O arquipélago das Canárias é constituído por um conjunto de ilhas de origem vulcânica que ocupa uma área marítima de cerca de 100.000 km². Os seus pontos extremos são, a norte, a Punta de Mosejos, na ilha de Alegranza, e, a sul, a Punta de la Restinga, na ilha de El Hierro. A superfície total do arquipélago, segundo o Instituto Geográfico Nacional, é de 7.447 km. A maior ilha é Tenerife com 2034,21 km2 e a menor é El Hierro com 268,70 km2. Localiza-se no Oceano Atlântico, no norte de África, próximo da costa sul de Marrocos e a norte do Saara. A ilha de Forteventura fica a cerca de 95 km da costa africana. A distância em relação ao continente europeu é de cerca de 940 km (da ilha de Alegranza ao final de San Vicente).

Devido à sua localização privilegiada, as Canárias podem ser consideradas uma ponte entre a Europa, África e América.

Com uma população de 2.108.121 habitantes (Istac 2017), as Canárias são a região ultraperiférica mais habitada, com uma densidade populacional de 283 habitantes por km2.

Descrição Geopolítica

 

Como Comunidade Autónoma do Estado espanhol, têm um Governo e um Parlamento Regional com uma única câmara. O seu estatuto autonómico data de 1982.

Cada uma das ilhas tem um órgão governativo e administrativo denominado “Cabildo”. Além disso, nas Canárias existem 88 municípios com as suas respetivas câmaras municipais.

As ilhas, de origem vulcânica, fazem parte da região natural da Macaronésia. O seu clima é subtropical, embora varie localmente de acordo com a altitude e o declive norte ou sul. Esta variação climática numa grande diversidade biológica, com a paisagem e a riqueza geológica, justifica a existência dos quatro parques nacionais e o facto de todas as ilhas possuírem reservas da biosfera da UNESCO, e outros domínios que foram declarados Património da Humanidade.

 

 

Tecido produtivo

 

As Canárias são a segunda região espanhola com o maior número de turistas estrangeiros: mais de 11,5 milhões por ano.

No que respeita aos setores de atividade, a maioria das empresas pertence ao setor dos serviços, seguido pelo setor comercial. O seu tecido empresarial é composto essencialmente por PME (entre 10 a 49 trabalhadores) e microempresas (menos 10 trabalhadores).

As atividades tradicionais das Ilhas Canárias são o cultivo de banana, tomate e batata, a pecuária, a pesca, a piscicultura, o cultivo de plantas e flores, viticultura e a indústria alimentar, bem como a energia e a dessalinização da água do mar.

As suas atividades de ponta são a investigação e o desenvolvimento em biomedicina, em astronomia e no turismo. Existem dois observatórios astrofísicos, o Observatório do Teide, na ilha de Tenerife, e o Observatório Roque de los Muchachos, na ilha de La Palma, onde está concentrada a maior variedade de telescópios do mundo.

Além disso, o Governo das Canárias está a apostar na promoção da atividade cinematográfica e audiovisual. Nos últimos anos, um grande número de filmes, nacionais e internacionais, foram filmados na Região.

 

Agricultura

O setor primário das ilhas Canárias representa 1,8% do Produto Interno Bruto (PIB) das Canárias.

 

Logística

A situação geográfica privilegiada do arquipélago faz com que este seja uma plataforma que une os continentes da Europa, África e América.

 

Paraíso Turístico

O seu clima subtropical e a sua riqueza cultural e paisagística fazem do arquipélago das Canárias um dos destinos turísticos preferidos dos turistas europeus, especialmente do Reino Unido e da Alemanha. A importância do turismo é tal, para a economia regional, que o setor gera mais de 35% do emprego e o seu contributo para o PIB é superior a 30%.


Canárias em fotos