Guiana francesa

Guiana Francesa: dos rios às estrelas

 

Um enclave francês na América do Sul, a Guiana é o maior departamento ultramarino.

Uma terra de potencial, esta região autêntica e dinâmica transborda vida em todas as suas formas.

Ao percorrer este território irá encontrar um mosaico de povos e uma diversidade cultural que combina tradições e saber.

Com a sua floresta amazónica majestosa, misteriosa e única no mundo, a Guiana conserva os segredos da biodiversidade.

É, igualmente, uma terra de inovação onde o seu centro espacial ultramoderno é uma base de lançamento de foguetões europeus como o Ariane, o Soyouz e o Vega.

Uma ponte sobre o rio Oiapoque une, através da Guiana, a França com o Brasil e a América do Sul com a Europa

 

Localização

 

Guiana está situada no nordeste da América do Sul, entre o Suriname e o Brasil. É um departamento-região ultramarino com uma superfície de 83.853km².

É, assim, a segunda maior região francesa a seguir à Nova Aquitânia, com uma população de 262.381 habitantes a 1 de janeiro de 2018.

Está delimitada:

  • A norte, pela costa que, no geral, é plana e pantanosa e formada por terras sedimentares;
  • A leste, pelo rio Oiapoque, entre Guiana e o Brasil;
  • A oeste, pelo rio Maroni, que separa a Guiana do Suriname;
  • A sul, a fronteira com o Brasil materializa-se com a linha divisória das águas com a bacia amazónica.

A Guiana possui 300km de costa, 520km de fronteira com o Suriname e 700km de fronteira com o Brasil.

A capital do departamento é Cayenne que se situa a 7.072km de Paris, a 5.000km do Rio de Janeiro e a 5.000 Km de Nova Iorque.

Economia

 

Atualmente a Guiana possui vários setores económicos dinâmicos. Em primeiro lugar, a indústria do espaço – que continua a ser o principal motor da economia da Região e que representa 15% do PIB do território, bem como 4.500 postos de trabalho em 2017. Em segundo lugar, segue-se o setor da construção e das obras públicas (BTP, em francês). Após um período moderado até 2016, a reativação da contratação pública está a revitalizar este setor.

Estes são os pilares aos quais é necessário adicionar outros motores. Assim, um processo de transformação do tecido económico é atualmente impulsionado pela política territorial, com a ajuda dos setores que têm como ponto comum aproveitar os recursos locais: o setor da madeira, as atividades mineiras e de extração, o turismo, a agricultura e a pesca.

Relativamente ao custo de vida, afetado pela oferta insuficiente e pela repercussão do custo da importação, devem-se estabelecer motores para a criação de riqueza e emprego com o objetivo de reduzir a dependência económica da Guiana.

O consumo das famílias e o investimento empresarial são direcionados como mostra a atividade bancária e a venda de automóveis. No entanto, apesar duma taxa de desemprego de 26%, segundo a OIT, desde 2017, o emprego temporário e a tempo inteiro estão de novo em crescimento.

Em 2018, o número de novas empresas continua a crescer e está a alcançar níveis recordes. A criação de empresas individuais é especialmente relevante. Este dinamismo é comum a todos os setores de atividade.

 

Sector Aeroespacial

A indústria do espaço, que continua a ser o principal motor da economia, representa 15% do PIB do território e 4500 postos de trabalho em 2017.

Construcción y Obras Públicas

Após um período moderado até 2016, a reativação da contratação pública está a revitalizar este setor.

Política

 

A Guiana é um departamento ultramarino desde 1946 e região desde as leis de descentralização de 1982.

Faz parte do sistema administrativo e político francês. O Estado é representado no território pelo Prefeito Regional, responsável pelos interesses nacionais, cumprimento da lei, segurança e controle administrativo. O território da Guiana está dividido em dois distritos, Cayenne e Saint Laurent du Maroni, que é uma Subprefeitura.

Desde 2016, a Guiana é administrada localmente pela Coletividade Territorial de Guiana, onde cada projeto é submetido a voto da Assembleia Territorial, composta por 51 conselheiros regionais, eleitos por um período de 6 anos.

A nível nacional, a Guiana é representada por parlamentares, dois deputados e dois senadores.

Como departamento-região ultramarino, a Guiana é uma Região Ultraperiférica da União Europeia. Como tal, beneficia de medidas específicas destinadas a adaptar o direito comunitário, tendo em conta as características e limitações específicas dessas regiões.

Guiana em fotos